Manjericão e seus benefícios para DII



O manjericão é uma erva de fragrância inconfundível cujas folhas são usadas como tempero em diferentes tipos de comida. É originário do Oriente Médio, Índia e região do mediterrâneo, mas hoje é plantado em todos os continentes. Chegou à Europa no séc. XVI e tornou-se das ervas mais reconhecidas desde que o pesto, uma mistura de manjericão, pinhões e queijo parmesão, tornou-se um molho popular da culinária italiana. Na Índia, é uma planta sagrada cultivada em templos onde é conhecido pelo nome de tulsi. Para os antigos gregos e romanos, o manjericão continha poderes de reconciliação enquanto no Norte da Europa e no Haiti é uma erva associada ao amor. É bastante reconhecido por suas propriedades terapêuticas e nutricionais. Seu nome científico é Ocimum basilicum.


Tipos de Manjericão


Há mais de 360 variedades desta erva na natureza e, embora o aroma em geral seja muito semelhante, elas podem diferir bastante na aparência e no sabor. O manjericão doce, por exemplo, é brilhante e pungente, enquanto o manjericão de limão possui folhas verdes com aroma cítrico e o manjericão pequeno folhas curtas de sabor picante. Em comum, há o fato de que as folhas são geralmente pontiagudas e verdes, mas algumas variedades podem apresentar coloração vermelha ou púrpura. É facilmente confundido com a hortelã-pimenta, pois ambos pertencem à mesma família de vegetais.


Quais os benefícios nutricionais e terapêuticos do manjericão?


O manjericão é uma boa fonte de betacaroteno, que é a vitamina A existente nos vegetais e frutos amarelos. De acordo com a America Cancer Society, uma dieta rica em vitamina A pode diminuir o risco de alguns tipos de câncer, o que torna essa erva um ingrediente essencial na cozinha de qualquer pessoa saudável. O manjericão também é rico em cálcio, vitamina c, vitamina k, ferro, fibra, magnésio e potássio. Tem função aperitiva, estimula o fígado, auxilia na digestão, é diurético e refrescante. Quando aplicado na pele, pode, contudo, causar alergias.

Possui compostos flavonoides altamente antioxidantes que protegem as células epiteliais (células que formam o revestimento das estruturas do corpo, incluindo os vasos sanguíneos) contra danos causados pelos radicais livres, ajudando a evitar que estes provoquem a oxidação do colesterol na corrente sanguínea.  O eugenol, um dos componentes presentes nesta erva, apresenta ação anti-inflamatória semelhante à aspirina e pode aliviar a dor de artrite e trazer conforto para doenças inflamatórias intestinais.

É ainda utilizado para aliviar inflamações dos brônquios, dores de garganta, gases intestinais, espasmos digestivos, dores de cabeça associadas à má digestão, vertigens, insônias nervosas, enjoos depressão e perdas de memória. Em alguns países também é usado como um repelente natural de insetos.


Como o manjericão pode ajudar a aliviar os sintomas das doenças inflamatórias intestinais?



Estudos sobre o manjericão demonstraram que os seus efeitos únicos em relação às doenças inflamatórias intestinais se dão em função da presença de dois compostos químicos: os flavonoides e os óleos voláteis. Os flavonoides são compostos fenólicos amplamente distribuídos na natureza e possuem inúmeras propriedades biológicas, dentre elas, atividade antioxidante e anti-inflamatória.

Já os óleos voláteis, além de conferirem o odor característico do manjericão, possuem um componente de ação anti-inflamatória conhecido como eugenol, que tem sido objeto de estudo aprofundado devido a sua capacidade de bloquear a atividade de uma enzima no organismo denominada ciclooxigenase (COX), que está associada a processos inflamatórios.

Grande parte dos medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINE), incluindo a aspirina e o ibuprofeno, bem como o paracetamol geralmente usado, atuam inibindo esta enzima. No entanto os AINE costumam reativar os sintomas da doença de Crohn e da colite ulcerativa, motivo pelo qual esses fármacos são desaconselhados pelos especialistas.

O efeito inibidor do eugenol, no entanto, não provoca lesões no trato gastrointestinal e pode proporcionar importantes benefícios curativos, para além do alívio dos sintomas em indivíduos com problemas de saúde inflamatórios.

É importante lembrar que qualquer uso terapêutico de ervas deve ser acompanhado por um médico ou nutricionista, que irá indicar as quantidades a serem adicionadas a uma dieta balanceada.


Como posso utilizar o manjericão no dia-a-dia?




A folha do manjericão fresco é facilmente encontrada em supermercados nas sessões de hortifruti. Sua versão ressecada é encontrada nas sessões de tempero para massas. Há ainda os pacotes de chá para infusão. Lojas de erva especializadas costumam comercializar o óleo essencial. Mais recentemente no Brasil, as redes de supermercado têm comercializado mudas e pés de manjericão nas sessões de jardinagem, visto que se trata de uma erva facilmente cultivável em casas e apartamentos. Entre as vantagens de ter o manjericão como parte de uma horta caseira está o seu aroma extremamente agradável, além é claro, da possibilidade de tê-lo sempre em mãos na hora de preparar uma boa massa ou fazer um chá. 

0 comentários:

Post a Comment

Muito obrigado pelo seu comentário e/ou pergunta. Responderemos o mais rapidamente possível.

Isenção de responsabilidade

Usando esse blog você o estará fazendo por conta e risco próprios. Não é a pretensão desse blog diagnosticar, medicar, sugerir tratamentos ou induzir mudanças no seu atual tratamento médico. Objetivamos única e exclusivamente informar a respeito das doenças inflamatórias intestinais. Caso você apresente algum sintoma procure um profissional médico. Não descontinue o uso de nenhum medicamento sem antes consultar o seu médico.

Powered by Blogger.