Alguns pacientes podem desenvolver estenose no intestino, como já vimos no post sobre complicações intestinais. A estenose é um estreitamento do intestino, que ocorre principalmente no íleo.
        
    Algumas estenoses tornam-se mais sérias e “crônicas” e precisam de cirurgia, na qual esse pedaço estenosado do intestino precisa ser ressecado, ou seja, removido.

            Mas outras estenoses acontecem por causa do processo inflamatório mesmo e podem responder ao tratamento médico como remédios.

            Essas estenoses costumam causar vários sintomas, principalmente dor abdominal. Isso é compreensível se pensarmos na fisiologia: se o intestino está mais estreito, como as fezes irão passar normalmente? O ideal é que as fezes tenham menor volume e estejam numa consistência bem macia para que possam passar pelo estreitamento sem causar maiores problemas e, até mesmo, ajudar na recuperação, pois vai promover um certo descanso intestinal.

            É possível conseguir isso? Como?


            Através de uma alimentação pobre em fibra e em resíduos isso é possível sim, pois as fibras e os resíduos dão maior volume às fezes. Ainda que o caso seja cirúrgico, é interessante fazer esse tipo de dieta não só para aliviar os sintomas, como também para um melhor preparo do intestino. E, se o caso não for cirúrgico, a importância de seguir essa dieta é que vai aliviar nos sintomas até que o tratamento faça efeito.

            Mas, como sempre dizemos, cada caso é um caso. Se você estiver com estenose, converse com seu médico para que ele direcione o seu tratamento. Vamos aqui dar uma série de dicas para esse tipo de dieta, mas você deve conversar com sua nutricionista para que ela te oriente de acordo com as suas necessidades.

             Existem basicamente três tipos de dieta com baixo teor de fibras e resíduos: dieta branda, dieta pastosa e dieta líquida. Mas um dos principais aliados nessa fase é a ÁGUA! Beba muita água! Muita mesmo! No mínimo 2,5 litros. Isso será importante para deixar as fezes em consistência macia. Acrescente gengibre em alguma refeição também. Ela é um alimento com grande poder anti-inflamatório.

- Dieta branda:


            Os alimentos ainda são sólidos, porém não pode haver nenhum alimento cru. Todos devem ser BEM cozidos. E também não pode comer alimentos integrais (arroz integral, pães integrais, farinhas integrais, biscoitos integrais etc).

            É bom evitar o feijão mas, se quiser muito comê-lo, prefira só o caldo ou bata-o bem no liquidificador. O arroz deve ser mais cozido que o normal também, o que chamamos de “arroz papa”.

            Os legumes também devem ser cozidos bastante, mais do que o normal, até que fiquem bem macios a ponto de desmancharem quando os espeta com garfo. Purês são ótimas opções. Verduras devem ser evitadas, ainda que estejam refogadas. As frutas devem ser ingeridas sem casca, sem semente e se tiver bagaço, sem ele também. Os sucos de frutas devem ser sempre coados.

            Grãos e sementes também devem ser evitados.

            As carnes devem ser mais leves e numa preparação bem macia e em pequenos pedaços, por exemplo: carne moída, frango desfiado, cubinhos de carne vemelha, cubinhos de frango, pequenos filezinhos de peixe ou peixe desfiado etc.

            Sopas, caldos, canjas também são boas opções!

            Se for comer biscoitos, evite os recheados (e os integrais, claro). Nesse caso, quanto mais simples o biscoito, melhor: biscoito amanteigado, biscoito doce tipo maisena, biscoito salgado tipo cream cracker. Se for comer pães, prefira os mais macios. Bolos também são uma ideia. Ao ingerir esses alimentos, procure sempre beber algo junto... café, leite (se não for intolerante à lactose), café com leite, suco coado, água de côco, chá etc.



- Dieta pastosa:


            Como o próprio nome já diz, neste tipo de dieta todos os alimentos estão na consistência pastosa. Mas não é tão difícil e sacrificante como se imagina.



            Nas grandes refeições você pode comer purês bem macios e sopas de legumes ou canjas batidas no liquidificador. Diversifique nos legumes para variar o sabor e também conseguir um bom aporte de vitaminas. Não deixe de acrescentar um pouquinho de carne, frango ou ovo cozido antes de liquidificar, pois seu corpo precisa de proteína e esses alimentos são fontes disso. Pode colocar um caldinho de feijão (só o caldo) para dar um gostinho bom também.

            Nos lanches você pode abusar das vitaminas e sucos “encorpados”. Mas importante: não acrescente fibras como aveia, granola, linhaça etc. Bata apenas leite com frutas. E lembre-se de retirar a casca e as sementes das frutas antes! Iogurtes também são ótimas opções, mas fique atento se o seu iogurte não vem com pedacinhos de frutas, pois já existem muitos assim nos mercados.



            Como essa dieta é bem restrita, pode ser que você não consiga atingir o aporte necessário de calorias, então caso você tenha tolerância, adicione alguns alimentos mais energéticos na sua alimentação. Eles ainda vão deixar suas refeições e lanches mais gostosos!

            Podemos dar mais algumas ideias: nas refeições salgadas, acrescente azeite extra virgem (faz muito bem pra saúde e vai aumentar o aporte energético). Creme de leite pode ser acrescentado tanto nas preparações salgadas como nas doces. O leite de côco também pode ser usado e fica uma delícia nas vitaminas.  Frutas como açaí (polpa) e abacate tem bastante energia também, além de ser fácil tirar semente e casca.

                Você também pode fazer cada alimento na sua forma pastosa e montar um prato (foto abaixo). Dá outro visual! Abuse da imaginação e você vai criar refeições deliciosas! 





- Dieta líquida


            Também, como o próprio nome já diz, nessa dieta os alimentos estão apenas na forma líquida. Essa já é mais restritiva mesmo, mas pode ser fundamental para aliviar as cólicas decorrentes da estenose.

            Para as refeições salgadas você pode fazer sopas de legumes ou canjas bem cozidas, bater no liquidificador e coar numa peneira. Sua sopa∕canja deverá ser feita com uma quantidade maior de água para que consiga ser coada. Você também pode acrescer o azeite nelas.

            Para os lanches você pode fazer uma vitamina bem “rala” ou suco de frutas mesmo, bem coados.

            Você pode coar as preparações numa gaze também, pois reduz ainda mais o teor de resíduos. 

            O leite é controverso. Há nutricionistas que prefiram que ele seja evitado nessa dieta e outros que defendem seu consumo. Se você não tem intolerância e deseja tomar o leite, tome, mas observe se vai haver algum mal estar. Se houver, já sabe: retire-o da sua alimentação. Posteriormente você tenta incluí-lo novamente.

            Chás também são boas ideias, assim como a gelatina. Sim, ainda que a gelatina esteja “durinha” na geladeira, pode consumi-la sem medo, pois ela já vai chegar líquida no estômago e, convenhamos, é uma opção bem gostosa.



            Não se esqueçam de ingerir muito líquido, seja qual for a dieta! E lembrem-se que essas dietas são feitas por um período temporário, até que você se recupere só.


            Não encare isso como uma alimentação restritiva, sacrificante, ruim. Pense que, ao contrário de muitas pessoas, você tem uma opção de fazer algo para melhorar seus sintomas.

2 comentários:

  1. Ouvimos pacientes reclamarem de algumas marcas de bolachas cream cracker parecendo ter muito leite, dá para perceber no gosto.

    ReplyDelete

Muito obrigado pelo seu comentário e/ou pergunta. Responderemos o mais rapidamente possível.

Isenção de responsabilidade

Usando esse blog você o estará fazendo por conta e risco próprios. Não é a pretensão desse blog diagnosticar, medicar, sugerir tratamentos ou induzir mudanças no seu atual tratamento médico. Objetivamos única e exclusivamente informar a respeito das doenças inflamatórias intestinais. Caso você apresente algum sintoma procure um profissional médico. Não descontinue o uso de nenhum medicamento sem antes consultar o seu médico.

Powered by Blogger.