Insônia


A doença inflamatória intestinal por si só não causa insônia, mas alguns leitores comentaram que estão com dificuldade de dormir. Pensando nisso resolvemos falar sobre a insônia, um distúrbio do sono.

O que é?


A insônia não é uma doença, mas um sintoma de vários males. Ter insônia não é só deitar e não conseguir dormir. Pessoas que têm o sono picado, acordam muito cedo ou não tem um sono reparador (quando já acorda com a sensação de cansaço) também sofrem de insônia.

Há 3 formas de insônia:

·         Mais comum e transitória que dura, no máximo, 1 semana.
·         Insônia intermediária, que pode durar até 3  semanas.
·         Insônia crônica, quando ela dura mais do que 3 semanas.

Quais são as causas?


A insônia é só a ponta do iceberg. Ela pode ser consequência de fatores emocionais, físicos e ambientais como, por exemplo:


  • Depressão / ansiedade,
  • Conflitos familiares ou no trabalho,
  • Consumo excessivo de álcool,
  • Consumo excessivo de cafeína,
  • Doenças que causam dor ou desconforto,
  • Distúrbios hormonais,
  • Doença de Parkinson / doença de Alzheimer,
  • Maus hábitos,
  • Predisposição genética,
  • Excesso de luminosidade (a luz inibe a produção da melatonina, hormônio que nos faz dormir) – neste caso, até luz de aparelhos eletrônicos ou frestas de portas e janelas podem atrapalhar,
  • Barulho: ronco de alguém, sirene, buzina, choro de criança, barulho de aparelhos domésticos (como máquina de lavar).



E as consequências?


As consequências vão muito mais longe do que o cansaço ao longo do dia. É durante o sono que acontecem vários processos vitais e, com isso, você pode ter uma série de prejuízos:

  • O cérebro diminui a atividade quando está sonolento. Isso compromete funções como criatividade, atenção, equilíbrio e memória, além de piorar o humor. Para se ter uma dimensão do problema: você sabia que a tragédia de Chernobyl foi causada por gente sofrendo do cansaço causado pela insônia?
  • Cerca de 70% do hormônio do crescimento é secretado durante o sono. Nas crianças ele garante ganho de peso e de altura. Nos adultos, responde pela renovação celular de músculos e esqueletos. E você aí que malha o dia inteiro e come bem: se não dormir direito não vai adiantar muito, viu?
  • Você sabia que na insônia a produção de insulina diminui muito e a glicose pode atingir níveis parecidos com o diabetes?
  • Essa parte é importante para nós, portadores de doenças inflamatórias intestinais: a falta de sono gera um efeito de estresse. O corpo, como resposta, produz mais cortisol e adrenalina, chamados de hormônios da tensão. Além de causar vários problemas digestivos, prejudica e muito o sistema imunológico e vocês se lembram que as DII são doenças autoimunes, né?
  • Uma noite bem dormida ajuda a eliminar os radicais livres, moléculas que estão por trás de vários tumores e do envelhecimento precoce. Falta de sono vai atrapalhar esse processo.
ASSINE NOSSO BOLETIM INFORMATIVO
Coloque o seu email:

Você receberá um email, confirme-o para que você possa receber nossas novidades.

Como diagnostica?



O médico pode realizar um exame físico e fazer histórico médico e de padrão de sono e, em alguns casos, o paciente pode ser encaminhado para um especialista para testes especiais. A possolinofragia é um exame realizado durante a noite inteira de sono. O paciente é encaminhado ao laboratório de sono, onde vários fios são conectados ao paciente em um computador que registra todos os fenômenos importantes relacionandos ao sono. O exame fornece dados claros sobre as fases de sono pelas quais o indivíduo passou naquela noite, sobre o padrão respiratório, evidenciando a presença de rouco e ou apneia, sobre quantas vezes o indivíduo despertou, sobre como variou a oxigenação do sangue durante toda a noite, sobre a presença e tipos de arritmias cardíacas, sobre movimentos das pernas etc.



A vantagem desse exame é que faz diagnóstico diferencial entre a síndrome apneia obstrutiva do sono e outros distúrbios do sono com quadros clínicos semelhantes, como apneia central, síndrome dos movimentos periódicos dos membros e narcolepsia. A maior desvantagem é o custo elevado e também a dificuldade em encontrar onde fazê-lo.

Tem tratamento para insônia?



Sim! O mais importante é descobrir a causa da insônia. Às vezes o tratamento é simples, mas às vezes também pode haver necessidade de medicação. Lembrando que você jamais deve se automedicar! Apenas o médico pode averiguar a necessidade de medicamento e definir qual medicamento você deve usar.

Muitas pessoas fazem uso de remédios que tem como efeito colateral o sono. Isso também faz muito mal por o uso contínuo desses medicamentos como relaxantes musculares, antialérgicos, ansiolíticos ou remédios para enjôo podem provocar arritmias e trazer consequências perigosas a longo prazo, como dependência.

Há tratamento para cada tipo de insônia: para quem tem dificuldade de iniciar o sono, para quem tem dificuldade de manter o sono e para quem tem sono superficial. Como acabamos de dizer, só o médico pode receitar o remédio, mas há várias mudanças comportamentais que você pode fazer:



  • Limite o consumo de cafeína em café, chá, chocolate etc. Em pessoas sensíveis o mínimo de cafeína pode prejudicar o sono.
  • Converse com seu médico sobre os remédios que está tomando. Alguns medicamentos são estimulantes (ex: algunss descongestionantes).
  • Exercite-se regularmente! Atividade física é indispensável para a saúde e é essencial para quem sofre de ansiedade. No entanto, não deixe para praticar perto da hora de dormir porque pode atrapalhar o sono.
  • Estabeleça uma rotina para seu horário de dormir e despertar. O relógio biológico responde melhor se habituado a horários regulares. Tente manter esse esquema mesmo aos finais de semana.
  • Procure relaxar antes de ir para a cama. Ouça música, leia um pouco, converse, assista a um bom filme. Lembre-se que após uma noite de sono reparador as soluções para os problemas podem fluir melhor.
  • Use técnicas de relaxamento. Progressivamente contraia e relaxa todos os músculos do corpo, começando pelos dedos do pé e terminando na face. Massageie suavemente o couro cabeludo. Tente visualizar uma cena ou paisagem que te traz satisfação.
  • Tome um banho morno. Á agua morna escorrendo pelo corpo durante um tempo pode ajudar a relaxar os músculos.
  • Se você não tiver intolerância, tome chás à base de ervas como camomila, erva doce, erva cidreira etc. Eles são usado há séculos devido à sua ação relaxante.
  • Certifique-se de que não há claridade no quarto e a temperatura está agradável. Como dissemos acima, o mínimo de luz como os de aparelho eletrônico e das frestas pode atrapalhar. Se necessário, coloque fita isolante nas luzes dos equipamentos e panos nas frestas.
  • Caso haja barulho e não há meio de eliminá-lo, use protetores nos ouvidos. Você pode adquirir em farmácias e lojas de equipamento de proteção individual e custam entre R$1 a R$10.
  • Escolha o colchão adequado para seu peso e altura. Colchões muito macios ou muito duros são contraindicados.
  • Reserve a cama para dormir e para relações íntimas, apenas. Evite ler, ver televisão, trabalhar e conversar no quarto. Ah, e falando nisso, você sabia que relações sexuais tendem a ser relaxantes? Após o orgasmo as pessoas tendem a ficar sonolentas.
  • Levante-se se não conseguiu dormir depois de 30 minutos deitado. Ficar na cama acordado pode aumentar a ansiedade, a irritação e, consequentemente, a insônia. Procure distrair-se com alguma atividade tranquila e depois, mais cansado, volte para a cama e tente dormir. Repita o esquema se necessário. Muitas pessoas conseguem reverter o processo usando essa técnica. 


0 comentários:

Post a Comment

Muito obrigado pelo seu comentário e/ou pergunta. Responderemos o mais rapidamente possível.

Isenção de responsabilidade

Usando esse blog você o estará fazendo por conta e risco próprios. Não é a pretensão desse blog diagnosticar, medicar, sugerir tratamentos ou induzir mudanças no seu atual tratamento médico. Objetivamos única e exclusivamente informar a respeito das doenças inflamatórias intestinais. Caso você apresente algum sintoma procure um profissional médico. Não descontinue o uso de nenhum medicamento sem antes consultar o seu médico.

Powered by Blogger.