A “dieta sem glúten” vem se tornando cada vez mais popular uma vez que mais e mais produtos que não contém glúten chegam às prateleiras dos supermercados. Isso é uma notícia ótima para indivíduos que sofrem com a doença celíaca que, não muito tempo atrás, tinham que se virar nos trinta para conseguirem informações e alimentos livres de glúten. Acontece que, não é apenas as pessoas que têm a doença celíaca, ou são alérgicos ou intolerantes ao glúten que estão comprando esses produtos. Algumas pessoas estão simplesmente escolhendo tirar alimentos que contém glúten de suas dietas e por isso vamos tentar responder algumas questões relacionadas à dieta sem glúten.



1 – Quem está adotando dietas sem glúten?



Hoje em dia o diagnóstico da doença celíaca tem se tornado mais comum, mas mesmo assim acredita-se que cerca de 1% da população tenha a doença celíaca e que entre 3-6% tenha algum tipo de intolerância ao glúten. Isto nos mostra que há uma grande parte da população que ainda não foi diagnosticada. Mas pesquisas têm mostrado que entre 10-20% da população tem optado por uma dieta sem glúten!


2 – Por que optar por uma dieta sem glúten?



Sem contar o diagnóstico de doença celíaca, ou intolerância ao glúten alguns optam por essa dieta para ajudar a algum membro familiar. Outras pessoas simplesmente acreditam que se sentem melhor quando não ingerem alimentos que contém glúten. A verdade é que não há evidências suficientes para embassar alguns dos motivos que as pessoas dão para eliminar o glúten de suas dietas, mas parece que esses motivos tem ganhado cada vez mais apoio social. Como por exemplo – “estou tentando melhorar minha saúde geral”, “quero melhorar minha saúde do intestino”, ou simplesmente “quero perder peso”. Outros acreditam que o glúten causa a síndrome do intestino permeável, ou que o organismo nao consegue digerir o glúten, ou até mesmo que pelo fato de estar no trigo, que pode ser geneticamente modificado, simplesmente faz mal a saúde. Mas ao pensar dessa maneira você deveria deixar de comer também: milho, soja, arroz, tomate, batata, e muitos outros alimentos que acreditam estar sendo geneticamente modificado.




3 – Uma dieta sem glúten é a ideal?



Se você tem alguma das condições citadas acima a resposta é SIM, para as outras pessoas, não necessariamente. Não há razão para excluir alimentos que contém trigo da sua dieta. Na verdade iso pode fazer com que você comece a ter escolhas até mesmo menos saudáveis. Por exemplo, se você está entre escolher quinoa (sem glúten) e pão (com glúten), a opção do sem glúten é melhor nesse caso. Mas,  se você tiver que escolher entre um pão (com glúten) e um alimento processado para chegar ao status de sem glúten, o pão terá bem mais nutrientes e será, nesse caso, a melhor opção. O segredo está sempre em escolher alimentos menos processados e a velha dica – mais frutas, mais vegetais e legumes. Tendo isso em mente, é possível ter uma dieta balanceada sem ter que comer alimentos que contenham glúten, apenas tem que ter mais disciplina, e talvez separar um pouco mais de dinheiro no orçamento para o supermercado. Lembre-se sempre que o que funciona para você pode não funcionar para outra pessoa. Então, só porque alguém dizem que uma dieta sem glúten fez maravilhas para ela não significa que você terá a mesma experiência. Consulte sempre um nutricionista antes de tomar tal decisão, ainda mais se você tem doença inflamatória intestinal.


Ajude-nos a manter a página.
Ao doar R$50,00 ou mais você ganhará uma camisa para torcer para o Brasil na Copa!






4 – Você tem certeza que não está comendo glúten?



Quando as pessoas pensam em glúten a primeira coisa que vem à mente é pão e pastas (macarrão). Mas o glúten pode ser achado em vários outros alimentos (seja por contaminação cruzada ou através da adição do mesmo) como por exemplo cerveja, alguns chás aromatizados e cafés, carne processada (e as “carnes” vegetarianas também)  - Gosta de salsicha ou bacon? Pense de novo -, molhos e condimentos e até mesmo algumas batatas crocantes de saquinho. Além claro de chocolates, cereais, sorvetes, alguns suplementos alimentares, vitaminas e por aí vai. Pelo fato do glúten ser de grande utilidade na indústria alimentícia ele é adicionado a vários produtos que originalmente não contém glúten.


5 – O que devo fazer se eu acho que glúten é um problema para minha saúde?



Se você acha que pode ter doença celíaca ou intolerância ao glúten, ou até mesmo que o glúten piora os seus sintomas da doença inflamatória intestinal, procure o seu médico e um nutricionista antes de começar por si mesmo uma dieta sem glúten. Fale a eles abertamente sobre o que está o preocupando e peça para ser testado para doença celíaca. Um exame sanguíneo pode dizer com 99% de certeza se você tem a doença, porém não funciona se você não está comendo glúten. Também, preste atenção nos sintomas que fizeram você acreditar que o glúten é a causa.


  ASSINE NOSSO BOLETIM INFORMATIVO
Coloque o seu email:

 Você receberá um email, confirme-o para que você possa receber nossas novidades.

O glúten é uma proteína encontrada no trigo, cevada e outros alimentos. Indivíduos com a doença celíaca não podem comê-lo por conta de uma outra proteína presente no glúten – a gliadina que é a causadora da resposta imune que acaba alterando a mucosa gastrointestinal. Isso faz com que os portadores dessa doença fiquem impossibilitados de digerir os alimentos como deveriam e também sofram com os sintomas associados à doença como diarreia, anemia, perda de peso, cansaço, falta de ar, cólicas, inchaço abdominal, irritabilidade e problemas de pele.

Pessoas intolerantes ao glúten sofrem com inchaço abdominal, cólicas, diarreia e cansaço logo após ingerir algo que contenha glúten, mas não sofrem nenhuma modificação na mucosa intestinal e possam talvez ingerir até certa quantidade de glúten sem ter sintomas algum.



Este artigo é uma adaptação e tradução feita pela equipe do crohnecolite.com.br de um artigo publicado na  Inside Tract, issue 189 – 2014 – Canada’s Gastrointestinal Disease & Disorder Newsletter

1 comentários:

  1. Médico gastro diz: "O pior problema do gúten são as quantidades exageradas, pois alimentos de trigo não dão sensação de saciedade. Os pacientes comem demais de uma só vez e fica indigesto. Nutricionista diz: '50g de pão ou 50g de bolachas costumam ser suficientes para um lanche de um adulto. Há pacientes que comem 100g de pão de uma só vez, outros 100g de bolachas ou de bolo.'"

    ReplyDelete

Muito obrigado pelo seu comentário e/ou pergunta. Responderemos o mais rapidamente possível.

Isenção de responsabilidade

Usando esse blog você o estará fazendo por conta e risco próprios. Não é a pretensão desse blog diagnosticar, medicar, sugerir tratamentos ou induzir mudanças no seu atual tratamento médico. Objetivamos única e exclusivamente informar a respeito das doenças inflamatórias intestinais. Caso você apresente algum sintoma procure um profissional médico. Não descontinue o uso de nenhum medicamento sem antes consultar o seu médico.

Powered by Blogger.