Como ocorre a digestão e absorção dos nutrientes?



Para entendermos como é o processo de absorção dos alimentos é imprescindível que entendamos como ocorre a digestão. Vamos aprender um pouco mais sobre isso hoje.

Vamos começar diferenciando nutrição, digestão e absorção.

Falando de modo simples, nutrição é o próprio ato de comer. Por definição, é um processo biológico em que os organismos utilizando-se de alimentos, assimilam nutrientes para a realização de suas funções vitais. Existem outras formas de nutrição que não seja a oral (comer os alimentos), que é o caso da nutrição enteral (através de uma sonda) e parenteral (através da veia), mas isso é um assunto para mais pra frente.


Digestão é o processo pelo qual os nutrientes ingeridos são convertidos de até poderem ser absorvidos pelo trato gastrointestinal.

Absorção é o processo no qual as moléculas são transportadas para o sangue através das células do trato gastrointestinal para, a partir daí, serem transportadas aos órgãos que necessitam.

Sistema digestório


O sistema digestório humano é formado por um longo tubo musculoso ao qual estão associados órgãos e glândulas que participam da digestão. O tubo digestivo é dividido em: boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado, cólon ou intestino grosso e ânus. Os órgãos anexos são língua, dentes, glândulas salivares, fígado e pâncreas.



Boca

A boca é responsável pela ingestão, trituração e ensalivação dos alimentos. Tudo isso só é possível devido à ação da língua, dos dentes e das glândulas salivares.
A digestão inicia-se na boca, mas só de alguns carboidratos, através da enzima amilase salivar, que vai transformar amido em maltose.

Esôfago

A faringe conecta a boca ao esôfago, que é um tubo musculoso com cerca de 30 cm que conecta a boca ao estômago.

As paredes do esôfago, através de movimentos peristálticos, promovem a passagem do bolo alimentar até o estômago. Neste trajeto a ação da amilase salivar persiste.

Estômago

É um saco muscular situado entre o esôfago e o intestino delgado. Comunica com o esôfago através do esfíncter cárdia e com o intestino delgado através do esfíncter piloro. A função principal do esfíncter é impedir que o bolo alimentar volte do estômago para o esôfago (cárdia) ou volte do intestino delgado para o estômago (piloro).


As paredes do estômago contem glândulas gástricas que secretam suco gástrico. Ele tem ação antisséptica, ou seja, destrói os microrganismos. Além disso, ele contém o ácido clorídrico (HCl), que confere um pH ácido ao estômago. Isso vai auxiliar o processo de fragmentação dos alimentos para que ocorra a atividade enzimática.


ASSINE NOSSO BOLETIM INFORMATIVO
Coloque o seu email:

Você receberá um email, confirme-o para que você possa receber nossas novidades.

No estômago também tem movimentos peristálticos, mas é com objetivo de misturar os alimentos ao suco gástrico. Essa mistura tem o nome de quimo.

No estômago também vai iniciar a digestão das proteínas e das gorduras, através das enzimas protease (pepsina) e lipase, respectivamente. Elas vão transformar as proteínas e gorduras em moléculas menores para poderem ser absorvidas mais pra frente.

Intestino delgado

É um tubo enrolado que mede cerca de 6 a 7 metros e tem aproximadamente 4 cm de diâmetro. É formado pelo duodeno (segmento inicial que se segue ao estômago e que recebe os sucos produzidos pelo fígado e pelo pâncreas), pelo jejuno e íleo.

Quando o quimo passa pelo piloro e chega ao duodeno, estimula a secreção do suco intestinal, que é alcalino e contém várias enzimas digestivas. Também serão lançadas a bile (produzida pelo fígado e armazenada na vesícula biliar) e o suco pancreático (produzido pelo pâncreas). A bile não contem enzima digestiva; está relacionada apenas a emulsificação de gorduras.

No final da digestão, os nutrientes encontram-se na sua forma mais simples, bem pequenininhos. E é só nessa forma mais simples que conseguirão ser absorvidos. Juntamente com os nutrientes que não sofrem digestão (água, vitaminas, minerais e fibras), formam o quilo.

É através dos movimentos peristálticos que o quimo (e posteriormente o quilo) vão caminhando ao longo do intestino delgado e do cólon.



Intestino grosso ou cólon

É um tubo com diâmetro maior, cerca de 6 cm, e com aproximadamente 1,5 metro de comprimento. Comunica com o intestino delgado através do ceco. É formado pelo cólon ascendente, cólon transverso e cólon descendente, sendo que este último termina no reto, que abre ao exterior através do ânus.

Absorção intestinal


Como já dissemos, é a passagem dos nutrientes para o sangue e para a linfa. Ocorre principalmente no intestino delgado. O intestino delgado é cheio de vilosidades e, por isso, apresenta uma superfície de absorção cerca de 600 vezes maior do que um tubo liso. Cada vilosidade contem um vaso sanguíneo e um vaso linfático para onde os nutrientes vão ser absorvidos.


As substâncias não digeridas passam para o cólon, misturadas com água. É neste lugar que ocorrerá a maior parte da absorção da água. É aí que também ficam as bactérias que fabricam vitaminas e que fragmentam fibras, o que produz gases.

Os restos alimentares, juntamente com muco, bactérias e células mortas formam as fezes, que serão eliminadas pelo ânus.

0 comentários:

Post a Comment

Muito obrigado pelo seu comentário e/ou pergunta. Responderemos o mais rapidamente possível.

Isenção de responsabilidade

Usando esse blog você o estará fazendo por conta e risco próprios. Não é a pretensão desse blog diagnosticar, medicar, sugerir tratamentos ou induzir mudanças no seu atual tratamento médico. Objetivamos única e exclusivamente informar a respeito das doenças inflamatórias intestinais. Caso você apresente algum sintoma procure um profissional médico. Não descontinue o uso de nenhum medicamento sem antes consultar o seu médico.

Powered by Blogger.