Câncer do cólon e do reto e sua relação com a doença inflamatória intestinal



Cólon e reto



O cólon e o reto realizam funções vitais nas últimas etapas da digestão, que começa pela boca, onde o alimento é mastigado em pedaços menores e até ser engolido. A comida, então, percorre o esôfago e vai para o estômago, onde é quebrada mais ainda por sucos gástricos e enviada de lá para o intestino delgado. O intestino delgado continua a quebra dos nutrientes e além disso começa a absorver grande parte dos mesmos, incluindo aí carboidratos, proteínas e vitaminas. Uma vez que os conteúdos tenham passado pelo intestino delgado, o bolo torna-se na maior parte em líquido e é movido para dentro do cólon, que mede aproximadamente 5 metros de comprimento. A principal função do cólon é absorver água e desidratar o material restante formando assim as fezes semi-sólidas. O reto atua como uma câmara de retenção e só libera as fezes quando tudoe esteja pronto para ser expelido através do ânus.





O que é o Câncer Colorretal



Câncer é um tumor maligno que caracteriza-se pela proliferação anormal de células. No caso do câncer colorretal seria a proliferação anormal das células dessas estruturas intestinais. Pelo fato do câncer do cólon e o do reto surgirem a partir do mesmo tipo de célula e terem muitas semelhanças, o câncer ali localizado é referido coletivamente como "câncer colorretal". 

As células desse local podem também formar tumores benignos (não-cancerosos) e pequenas massas chamadas pólipos. Embora nem todos os pólipos irão se tranformar em câncer colorretal, este quase sempre se desenvolve a partir de um pólipo. Exames preventivos podem identificar esses pólipos. Ao longo de um período de muitos anos, as células de um pólipo pode sofrer uma série de mudanças no DNA que faz com que se tornem malignos (cancerosos).

Num primeiro momento, estas células cancerosas estão contidas na superfície de um pólipo, mas pode acontecer de crescerem para dentro da mucosa do cólon ou do reto, onde terão acesso aos vasos sanguíneos e linfáticos. Uma vez que isto acontece podem se espalhar para os nódulos linfáticos e outros órgãos, tais como o fígado ou pulmões, este processo é denominado metástase e isso aumenta o grau de malignidade da doença.

ASSINE NOSSO BOLETIM INFORMATIVO
Coloque o seu email:

Você receberá um email, confirme-o para que você possa receber nossas novidades.

Fatores de riscos no desenvolvimento do Câncer Colorretal



Embora as causas do câncer colorretal sejam ainda desconhecidas, muitos fatores de risco foram identificados delineando assim a susceptibilidade de certas pessoas a desenvolver esse tipo de tumor.

Os fatores de risco incluem qualquer atitude, hábitos ou história médica que aumente as chances de alguém a desenvolver o câncer colorretal. Dentre esses fatores de risco encontra-se a doença inflamatória intestinal. Além da DII outros fatores são:

Idade – o risco aumenta com a idade. Estudos mostram que pessoas acima dos 50 são mais susceptíveis e aumenta consideravelmente a cada década. Vale ressaltar que pode ocorrer em pessoas jovens também (Patel, 2009: Gairdiello, 2008).

Doença inflamatória intestinal - Devido ao fato das mucosas intestinais passarem por inflamação constante na doença inflamatória intestinal o risco de desenvolver câncer colorretal aumenta e por isso exames preventivos devem ser feitos com mais frequência (S. Itzkowitz et al, 2004).

História familiar com câncer colorretal - Pessoas que têm parente de primeiro grau que tiveram câncer colorrectal têm mais chances de desenvolver a doença, mais ainda se o câncer surgiu na juventude. Quanto mais pessoas na família história de câncer colorretal maior a chance de alguém da mesma família desenvolver a doença. Muitas vezes a causa não é hereditária mas a exposição de algum carcinogênico no ambiente, dieta ou estilo de vida (J. Olsen et al. 2004).

Dieta - Câncer colorretal parece estar associado com uma dieta rica em gordura e calorias, carne vermelha e processada e baixa em fibra, vegetais, legumes e frutas. Pesquisadores também sugerem que métodos de cozinhar no qual prepara-se a carne em alta temperatura como fritando por exemplo aumenta o risco de câncer colorretal (Kouskik, 2008; Langman 2002; Vinikoor 2008).

Além desses riscos há ainda fumo, obesidade, diabetes tipo II, alcoolismo, trabalho noturno e radiação para tratamento de outros cânceres.




Prevenção do câncer do cólon e do reto



O câncer colorretal é uma doença devastadora que afeta o intestino grosso. Para remediar esse tipo de câncer a maioria das pessoas passam por cirurgias dolorosas e regimentos de quimioterapia e/ou radioterapia destinados a eliminar as células cancerosas.

É um câncer que não apresenta sinais e sintomas no início, e pode crescer muito antes de ser detectado, por isso exames preventidos são recomendados periodicamente. E quando os sintomas ocorrem - diarreia, vômito, fraqueza, perda de peso inexplicada, fezes com sangue - eles não são muito diferentes de sintomas de outros tipos de câncer ou até mesmo da doença inflamatória intestinal. Os sintomas são muito vagos e indicativo de um grande número de outras doenças.

O câncer colorretal não discrimina e até mesmo o indivíduo mais saudável pode desenvolver a doença. No entanto, existem vários fatores de estilo de vida que você pode controlar para ajudar a prevenir esta doença. Embora ainda um pouco nebuloso, uma luz surgiu no entendimento sobre a prevenção do câncer colorretal.

Há várias maneiras de prevenir e vamos falar sobre todas mais para frente, hoje focaremos na dieta.

O câncer que já foi mais que provado que pode ser prevenido pela dieta é sem dúvida o câncer colorretal. Estudos mostram que uma dieta rica em vegetais, legumes, frutas, farinha de trigo integral, proteína magra e óleos saudáveis mostram uma diminuição na chance de desenvolver esse câncer. Ao contrário, uma dieta rica em carnes vermelhas e processadas, gorduras e alimentos processados aumentam o risco desse tipo de câncer.


Frutas e verduras - Um estudo recente (Nomura, 2008) concluiu que homens que comem mais frutas e verduras têm uma chance menor de desenvolver câncer colorretal, estudos passados mostram que ambos homens e mulheres podem usufruir da mesma proteção (Park 2007, Kouskik 2008). Vegetais e legumes verdes scomo broccoli e espinafre são altamente recomendados devido aos seus nutrients e frutas são ótimas para a aquisição da sua necessidade de carboidratos.

Carne processada e carne vermelha – diminua a quantidade desse tipo de carne. Estudos indentificaram carcinogênicos nesse tipo de alimento, principalmente quando cozinhado em altas temperaturas (Giovannucci et al 1994).

Grãos e legumes – Substitua os grãos processados (farinha branca)  pelo integral. Corte de vez o açúcar processado.


Água – Aumente o seu consumo de água para ajudar no processo digestivo. A água é um meio importante para que as suas funções metabólicas ocorram de maneira eficiente. Tente tomar de 6 a 8 copos de água por dia. 


Leia também9 alimentos ricos em água


Faça exames preventivos regularmente caso você tenha doença inflamatória intestinal e tenha 50 anos ou mais. Converse com o seu médico a respeito.




0 comentários:

Post a Comment

Muito obrigado pelo seu comentário e/ou pergunta. Responderemos o mais rapidamente possível.

Isenção de responsabilidade

Usando esse blog você o estará fazendo por conta e risco próprios. Não é a pretensão desse blog diagnosticar, medicar, sugerir tratamentos ou induzir mudanças no seu atual tratamento médico. Objetivamos única e exclusivamente informar a respeito das doenças inflamatórias intestinais. Caso você apresente algum sintoma procure um profissional médico. Não descontinue o uso de nenhum medicamento sem antes consultar o seu médico.

Powered by Blogger.