O que comer na ceia de Natal?


Natal é época de confraternização, de paz, reunir os amigos e familiares, ganhar presentes, mas também é uma das épocas de mais “comilanças”! Impossível pensar em Natal e não lembrar daquela mesa recheada de gostosuras. E é aqui que começa nosso desespero! O que posso comer? Este sentimento é ainda maior naqueles que descobriram a doença há pouco tempo, mas sempre bate um friozinho na barriga. Vamos tentar então sanar algumas dúvidas e dar dicas para que sua ceia seja saborosa e saudável, sem dores ou idas ao banheiro depois. Ao longo do texto daremos receitas que você pode utilizar.

E o mais importante: se você já sabe que um alimento faz mal, evite-o na ceia. Se você vai passar a ceia na casa de alguém e não pode comer um determinado alimento que vai ter lá, prepare um prato bem bonito com o alimento que você pode e leve. Hoje em dia já é de bom tom os convidados levarem pratos e, dessa forma, ninguém nem precisa saber o que você não pode comer. E a palavra de ordem é: moderação. Não use as festas de fim de ano como desculpa para “enfiar o pé na jaca” e comer tudo o que ver pela frente, sem pensar nas consequências. Pense na sua saúde: se você está em remissão será que vale a pena arriscar passar mal tudo de novo? E se você já está em atividade será que vale a pena piorar sua saúde correndo risco até mesmo de ser internado? Acho que não, né! Não queremos que você deixe de se divertir e comer o que quer; nossa proposta é que você substitua o que não puder comer e modere, daí a ideia das receitas. Não vale a pena prejudicar sua saúde por causa de 1 dia do ano. É possível comer bem sim.


Prato principal

Peru é uma das principais opções no prato principal e a boa notícia é que não há problemas com ele. O peru é uma carne magra (já sabemos que o excesso de gordura é ruim para o intestino), então é uma boa opção. Para deixá-lo ainda mais saudável, uma dica é retirar a pele antes de prepará-lo.

A carne de porco deve ser evitada. Se você leu o nosso texto sobre alimentos inflamatórios e anti-inflamatórios deve se lembrar que ela é a carne com poder mais inflamatório (se não leu, leia clicando aqui).

Uma ótima opção, super saudável e deliciosa, mas não tão tradicional é o salmão. Podem confiar... um salmão com molho de maracujá ou alcaparras na ceia é divino e corre um sério risco de ofuscar o brilho daquele lombo gorduroso! Além do mais, ao contrário da carne de porco, o salmão é altamente anti-inflamatório, o que é ótimo para nós! Outra boa notícia: nossa tradicional bacalhoada também está liberada e recomendadíssima, pois o bacalhau também é uma carne magra e com grande poder anti-inflamatório.


Já que a “estrela” da ceia já foi discutida, vamos para os coadjuvantes!

ASSINE NOSSO BOLETIM INFORMATIVO
Coloque o seu email:

Você receberá um email, confirme-o para que você possa receber nossas novidades.

Entradas ∕ Saladas
Nesse caso a individualidade vai reinar em absoluto. Já sabemos que pessoas que tem estenose não podem abusar das fibras então, nesse caso, nada de saladas cruas e grãos. Prefira então legumes e verduras cozidos e∕ou refogados. Tome cuidado também com as leguminosas (os primos do feijão) como lentilha e ervilha, que são muito comuns na ceia, pois esses, apesar de cozidos, podem ter um teor maior de fibra. Opte então pelos legumes cozidos e capriche na decoração.

Uma dica interessante para enriquecer sua entrada é utilizar as oleaginosas (nozes, castanhas, avelãs etc – isso se não tiver intolerância). Castanhas picadinhas por cima da salada fica delicioso e muito bonito! E, para quem gosta de agridoce, a dica é colocar frutas cozidas (para reduzir o teor de fibras) e sem casca. A maçã é uma ótima pedida!

Mas se você não tem estenose e não precisa controlar as fibras não há necessidade de restringir nada, a não ser que tenha alguma intolerância. Não havendo intolerância a lactose, outra ideia é acrescentar cubinhos de queijo. Siga algumas receitas:


Salada no Espeto:
300g de bolinhas de mussarela
¼ de xícara (chá) de azeite
1 colher (sopa) de orégano
1 colher (chá) de sal
10 tomates-cereja cortados ao meio
150g de rabanetes pequenos cortados ao meio
1 pepino japonês cortado em rodelas de 1 cm de espessura
40 folhas de hortelã

Corte as bolinhas de mussarela ao meio e tempere com azeite, orégano e sal. Monte os espetinhos intercalando o tomate-cereja com os rabanetes, a mussarela temperada, o pepino japonês e as folhas de hortelã.


Carpaccio de abóbora:
300g de abóbora fatiada
2 colheres (sopa) de azeite
Para o molho: 100g de azeitonas pretas em rodelas
                           3 colheres (sopa) de azeite
                           2 colheres (sopa) de suco de limão ou aceto balsâmico
                           Sal a gosto

Corte as fatias de abóbora no formato que desejar. Aqueça uma frigideira antiaderente e unte-a com azeite. Grelhe a abóbora, aos poucos, até que cozinhe levemente. Retire do fogo e transfira para uma travessa.
Molho: numa tigela misture todos os ingredientes exceto a azeitona com um batedor de mão e disponha sobre a abóbora. Decore com a azeitona e sirva.



Salada de berinjela:
1 kg de berinjela assada e em cubos
3 colheres (sopa) de vinagre
1 colher (chá) de mel
Sal a gosto
240g de champignon
4 tomates sem pele e sem sementes picados
1 xícara (chá) de suco de laranja
¼ xícara (chá) de suco de limão
2 dentes de alho picados
2 colheres (sopa) de azeite

Coloque a berinjela na assadeira. Junte o vinagre, o mel e o sal. Misture e reserve. Pique o champignon e junte à receita. Adicione o tomate. Mexa e leve ao forno por 5 minutos. Numa panela ponha os demais ingredientes e leve ao fogo. Quando o molho se reduzir, sirva com berinjela e pão.

Sobremesas

Costuma ser nesse quesito que todo mundo exagera! Excesso de doces não é bom para ninguém, mas para nós é pior ainda por causa da fermentação no intestino. É por isso que costuma dar diarreia em algumas pessoas. Outro cuidado é com uma sobremesa muito tradicional, a rabanada, que tem o inconveniente de ser frita. Mas vamos lá, pessoal... não significa que você não vai poder comer sobremesa. Claro que não! Mas modere! Se você tem intolerância à lactose, ao chocolate etc, prefira as sobremesas que não os usem como ingredientes. E já que falamos de rabanada, vamos dar uma colher de chá e ensinar vocês a fazer uma rabanada sem ser frita.


Rabanada assada:
5 unidades de pão francês
2 copos de leite (quem tem intolerância a lactose: use leite 0% lactose ou leite de soja)
1 copo de açúcar
2 ovos
1 colher (chá) de essência de baunilha (opcional)
Canela a gosto

Preparo: unte uma fôrma redonda com manteiga. Corte os pães em rodelas e arrume na forma, forrando o fundo. No liquidificador bata o leite, os ovos, o açúcar e a essência. Coloque essa mistura em cima dos pães apertando bem com ajuda de uma colher até que estejam bem molhados. Faça uma mistura de açúcar e canela e salpique por cima. Leve ao forno para assar.


Mousse de coco com calda de maracujá (para quem não pode com chocolate):
Ingredientes da mousse:
            1 xícara (chá) de leite de coco
            3 xícaras (chá) de leite de vaca (quem tiver intolerância a lactose use o leite de soja ou leite 0% lactose)
            10 colheres (sopa) de maisena
            4 claras
            8 colheres (sopa) de açúcar


Ingredientes da calda:
            2 xícaras (chá) de suco pronto de maracujá (já adoçado)
            4 colheres (sopa) de maisena

Modo de fazer:
            Mousse: misture o leite de coco, o leite de vaca∕soja e a maisena. Leve ao fogo mexendo sempre até engrossar. Retire do fogo e deixe esfriar, mexendo de vez em quando para não criar película. Bata as claras em neve firme. Junte o açúcar aos poucos, até obter um suspiro firme. Misture delicadamente o creme de coco. Coloque numa fôrma de buraco no meio de 20 cm de diâmetro, molhada com água. Leve à geladeira para endurecer.
            Calda: misture bem os ingredientes. Leve em fogo brando, mexendo sempre até engrossar. Retire do fogo e deixe esfriar. Leve à geladeira.
            Desenforme a mousse de coco e sirva com o molho de maracujá.




Rocambole de frutas vermelhas:
Ingredientes da massa:
2 ovos
1 xícara (chá) de açúcar
1 xícara (chá) de farinha de trigo
4 colheres (sopa) de água
2 colheres (sopa) de fermento em pó
Pitada de sal

Ingredientes do recheio:
            1 e ½ xícara (chá) de açúcar
            ½ xícara (chá) de água
            400 g de frutas vermelhas congeladas
            1 colher (sopa) de amido de milho
            ½ xícara (chá) de água (para dissolver o amido de milho)

Modo de fazer:
        Massa: bata as gemas com o açúcar até obter um creme fofo. Acrescente a água alternando com a farinha de trigo peneirada. Reserve. Bata as claras em neve com uma pitada de sal. Junte o fermento e mexa delicadamente. Incorpore as claras à massa e misture com movimentos de baixo para cima. Despeje em uma assadeira untada. Asse em forno médio pré-aquecido.

            Recheio: faça uma calda com o açúcar e a água em ponto de fio. Acrescente as frutas e cozinhe até que elas comecem a desmanchar. Retire do fogo e junte o amido dissolvido na água. Devolva ao fogo e cozinhe, sem parar de mexer, até engrossar. Deixe esfriar e recheie a massa.

0 comentários:

Post a Comment

Muito obrigado pelo seu comentário e/ou pergunta. Responderemos o mais rapidamente possível.

Isenção de responsabilidade

Usando esse blog você o estará fazendo por conta e risco próprios. Não é a pretensão desse blog diagnosticar, medicar, sugerir tratamentos ou induzir mudanças no seu atual tratamento médico. Objetivamos única e exclusivamente informar a respeito das doenças inflamatórias intestinais. Caso você apresente algum sintoma procure um profissional médico. Não descontinue o uso de nenhum medicamento sem antes consultar o seu médico.

Powered by Blogger.