Chocolate – comer ou não comer?


Nessa época de Páscoa não tem jeito. Para onde olhamos, vemos chocolates. Muitos leitores estão nos escrevendo para esclarecer a famosa dúvida “devo comer ou não chocolate?”. Essa é uma questão difícil de ser respondida pela famosa individualidade bioquímica, já tantas vezes citada aqui. Uma pessoa com doença inflamatória intestinal pode comer 10 ovos de Páscoa e se sentir bem, ao passo que uma outra pessoa pode comer uma lasquinha e se sentir muito mal.

Mas nem tudo está perdido! Às vezes o problema nem é o chocolate em si, mas a lactose (e esse costuma ser o problema na maioria das vezes). Outro problema é o teor de açúcar do chocolate que pode dar as dores de barriga, te deixar inchado, dar diarreia etc, mas para esse caso também tem solução. Para entender melhor, vamos conhecer os tipos de chocolate e, quem sabe, encontrar a solução para você comer o tão sonhado ovo de Páscoa?

Se o problema for o teor de açúcar?


Nesse caso o ideal é escolher o chocolate amargo ou, no máximo , o meio amargo. Esses chocolates tem menor quantidade de açúcar e maior quantidade de cacau, lembrando que o cacau é um alimento ótimo para a saúde!

·         Chocolate extra amargo: 76 a 90% da composição do chocolate é cacau.
·         Chocolate amargo: 51 a 75% de cacau.
·         Chocolate meio amargo: 35 a 50% de cacau.

E o chocolate diet?

Um alimento ser diet não significa necessariamente que ele tem açúcar, apesar de ser assim na maioria dos casos. A grande questão é que o chocolate diet com redução de açúcar acaba tendo uma quantidade de gordura muito maior (para compensar a falta de açúcar), o que faz muito mal também, além de aumentar muito mais as calorias (sim, um chocolate diet pode ter mais calorias que um chocolate tradicional).

E o chocolate light?

Um alimento light significa que ele tem algum nutriente em menor quantidade. Pode ser que ele tenha menos açúcar, menos gordura, menos qualquer outra coisa. É difícil encontrar.


E se o problema for a lactose?


Existe chocolate sem lactose! Oba! Nessas lojas “famosas” de chocolate você os encontrará facilmente. Chocolate sem lactose não é só o de soja, existem outras opções e são muito saborosos. Mas quem nunca experimentou o chocolate de soja vale a pena experimentar! É uma delícia e você encontra em supermercados (normalmente naquela sessão de alimentos diet, light etc).

ASSINE NOSSO BOLETIM INFORMATIVO
Coloque o seu email:

Você receberá um email, confirme-o para que você possa receber nossas novidades.


E se o glúten for o vilão?

Também existe chocolate sem glúten! Eu confesso que até hoje só encontrei nessas lojas de chocolate que são uma rede. Existem sem glúten E sem lactose também. São uma delícia. O preço que costuma não ser lá muito bom, mas dá para fazer uma graça e comprar. O segredo é pesquisar preços.

E se eu não posso comer qualquer chocolate?


Também tem solução! Já ouviu falar na alfarroba? Ela não é chocolate, mas o sabor e a aparência são muito parecidos! Ela é utilizada como substituto do cacau e... adivinha só! Normalmente as preparações com alfarroba não contêm lactose, glúten e cafeína, além de serem ricas em vitaminas e minerais. Vale a pena experimentar, né? Confira no final deste texto receitinhas de como você pode usar a alfarroba!



Cadê o chocolate branco nessa história?


Chocolate branco não é chocolate! Acredita? Para ser considerado chocolate tem que ter cacau em sua composição e chocolate branco não tem cacau. Ele é feito de manteiga de cacau (na verdade, manteiga de cacau, leite e açúcar). Sendo assim ele não é bom para ninguém. Se for consumir, tenha moderação.


E esse chocolate proteico?


Ele tem na sua composição whey protein, um tipo de suplemento de proteína muito utilizado por atletas e praticantes de atividades físicas. Ele pode ser uma boa alternativa, mas o problema é que algumas marcas tem uma quantidade de gordura muito grande, o que acaba anulando seus efeitos positivos e nós já sabemos que a gordura pode ser inflamatória.

Outros cuidados a serem tomados


Alguns chocolates vem com acréscimos como avelãs, amêndoas, pimenta, frutas, menta, rum e licor, pistache, caramelo etc. Você pode não ter impedimento em comer o chocolate, mas pode ter alguma intolerância a esses ingredientes. Portanto, fique atento em toda a composição do chocolate.

Mas, caso você não tenha intolerância, eles podem ser uma boa opção para você deixar seu chocolate ainda mais saudável. Amêndoas e avelãs têm gorduras boas, vitaminas, minerais e proteínas, além de proporcionarem uma maior saciedade.




Confira os benefícios do cacau


1 – Concentração e disposição: o cacau possui flavonoides, teobromina e cafeína que, consumidos em quantidade ideal, deixam a pessoa mais ativa, disposta e concentrada.

2 – Sensação de bem estar, prazer e bom humor: isto se deve à presença de triptofano e outras substâncias que promovem o aumento da produção da serotonina, o neurotransmissor responsável por essas sensações.

3 – Ameniza sintomas da fadiga crônica, estresse e TPM: também se devem ao triptofano.
4 – Promove inibição do apetite: o cacau promove o aumento dos níveis de um hormônio chamado leptina, que vai ajudar na inibição do apetite e diminuição da velocidade do esvaziamento gástrico.

5 – Diminui resistência a insulina: pode ajudar no controle da diabetes, desde que consumidos nas quantidades recomendadas pelo nutricionista.

6 – Ação antioxidante: deve-se principalmente aos polifenóis. Ajudam a reduzir o colesterol ruim (LDL-colesterol), a prevenir doenças como AVC (derrame) e infarto do coração. Também podem ajudar a diminuir a pressão arterial.

7 – Previne câncer de intestino: também devido à essa ação antioxidante.

1 comentários:

  1. Todas as vezes que usei chocolate de soja e os sem lactose, vendidos nas farmácias, incomodou a doença. Não valeu a pena. Lidamos melhor aqui fazendo um creme de cacau em pó com maisena e açúcar. Fica muito bom.

    ReplyDelete

Muito obrigado pelo seu comentário e/ou pergunta. Responderemos o mais rapidamente possível.

Isenção de responsabilidade

Usando esse blog você o estará fazendo por conta e risco próprios. Não é a pretensão desse blog diagnosticar, medicar, sugerir tratamentos ou induzir mudanças no seu atual tratamento médico. Objetivamos única e exclusivamente informar a respeito das doenças inflamatórias intestinais. Caso você apresente algum sintoma procure um profissional médico. Não descontinue o uso de nenhum medicamento sem antes consultar o seu médico.

Powered by Blogger.