O tratamento para doença inflamatória intestinal pode aumentar o risco de câncer de pele?


Uma pesquisa recente, publicada em fevereiro deste ano (Journal Clinical Gastroenterology and Hepatology) sugeriu que a doença inflamatória intestinal pode aumentar o risco de melanoma, o tipo mais perigoso de câncer de pele. Isso quer dizer que é importante você estar atento a alterações na sua pele e visitar o médico regularmente.

O risco de melanoma é independente do tratamento

Neste estudo encontraram chance de 37% a mais de portadores de doença inflamatória intestinal desenvolverem câncer de pele em comparação com a população geral. Mas não há motivo para pânico: o melanoma, se tratado precocemente, é 100% curável.

Os pesquisadores da Mayo Clinic, em Minnesota, nos Estados Unidos, não encontraram ligação entre melanoma e risco de doença de pele em pacientes com doença de Crohn ou retocolite que fazem uso da terapia biológica.

A doença inflamatória intestinal pode aumentar risco de outros cancêres de pele?

Um estudo recente, publicado em março deste ano, analisou oito estudos sobre o caso e encontrou um risco “moderado” de câncer de pele não-melanoma associado ao uso das tiopurinas (Azatioprina/Imuran e 6-Mercaptopurina) no tratamento das doenças inflamatórias intestinais. Exemplos desses tipos de cânceres são o carcinoma espinocelular e basocelular.

Em contrapartida, um pesquisador – professor Jess – apresentou um resultado diferente no ano passado. Segundo ele “é biologicamente plausível que os pacientes com doença inflamatória intestinal tratados com tiopurinas podem ter um risco maior de câncer de pele não-melanoma, já que esses agentes aumentam a sensibilidade do DNA para os danos causados pelos raios ultravioletas do sol”.

Ainda não há diretrizes específicas para prevenção do melanoma e do câncer de pele não-melanoma. O contrário acontece com pacientes que fazem transplantes de órgãos e também recebem medicamentos imunossupressores (como as tiopurinas): eles são aconselhados a fazer exames de pele pelo menos 1 vez por ano. Portanto, é importante que os dermatologistas sejam envolvidos no tratamento de pacientes com doença de Crohn ou retocolite ulcerativa.


Cuidados

Os estudos mais recentes mostram o risco aumentado de pacientes com doença de Crohn e retocolite ulcerativa desenvolverem câncer de pele, independente dos medicamentos que estão usando. Sendo assim, é de suma importância que você consulte um médico dermatologista todo ano e fique atento a qualquer alteração na sua pele. Como já dissemos, se for descoberto a tempo, o melanoma é 100% curável, mas se demorar a diagnosticar e tratar pode até mesmo causar risco de morte.

Na falta de diretrizes específicas, as recomendações gerais são:

  • Utilizar filtro solar sempre;
  • Evitar bronzeamento artificial;
  • Quando necessário, usar roupas de proteção.
ASSINE NOSSO BOLETIM INFORMATIVO
Coloque o seu email:

Você receberá um email, confirme-o para que você possa receber nossas novidades.


Quais os sintomas do câncer de pele?

Para o que você deve ficar atento?


  • Qualquer mudança em sua pele, especialmente verruga ou qualquer novo crescimento;
  • Inchaço ou sangramento;
  • Alguma lesão que está coçando, é sensível ou dolorosa.


O melanoma tem forma irregular, variedade de cores, fica mudando e pode ser maior que uma borrachinha daquelas que ficam no lápis. Se você notar qualquer dessas alterações, procure o dermatologista o mais rápido que puder.



0 comentários:

Post a Comment

Muito obrigado pelo seu comentário e/ou pergunta. Responderemos o mais rapidamente possível.

Isenção de responsabilidade

Usando esse blog você o estará fazendo por conta e risco próprios. Não é a pretensão desse blog diagnosticar, medicar, sugerir tratamentos ou induzir mudanças no seu atual tratamento médico. Objetivamos única e exclusivamente informar a respeito das doenças inflamatórias intestinais. Caso você apresente algum sintoma procure um profissional médico. Não descontinue o uso de nenhum medicamento sem antes consultar o seu médico.

Powered by Blogger.