Pesquisadores na Austrália recentemente verificaram a eficácia do bismuto como um possível tratamento a longo termo para diarreia crônica e difícil de ser tratada que vem associada com alguns tipos da doença inflamatória intestinal (DII) e com um tipo da síndrome do intestino irritável (SII) com predominante diarreia (SII-D). Foi um estudo pequeno, com apenas 31 pacientes deu esperanças para o tratamentos destas doenças com o bismuto oral. Mas infelizmente não mostrou nenhuma melhora significativa para pacientes portadores da colite ulcerativa ou colite microscópica.

A colite indeterminada é uma forma de doença inflamatória intestinal que os médicos não conseguem definir um diagnóstico entra colite ulcerativa ou doença de Crohn, as duas formas mais comuns de DII. Alguns pacientes de colite e colite indeterminada fazem cirurgias para retirada da parte doente do intestino o que frequentemente resulta em uma ostomia para a eliminação das fezes. Pouchitis é o termo usado para indicar inflamação desta abertura.




Os cientistas estão interessados em estudar o bismuto oral por várias razões:

Estudos têm mostrado que o bismuto oral tem sido útil em prevenir algusn tipos de diarreia e no tratamento de úlceras relacionadas à Helicobacter pylori.

Estudos mostraram que o bismuto oral tem capacidades antibacterianas e anti-inflamatórias.

Bismuto oral não é absorvido muito bem no intestino delgado o que significa que ele chega em grande quantidade ao cólon, extamente onde é preciso para tratar a diarreia.
Pesquisas mais antigas mostraram  que um tratamento com enema contendo arsênico foi bom para induzir a remissão em pacientes com proctite ulcerativa, mas devido a sua ação tóxica não é o melhor dos tratamentos. Tanto arsênico quanto o bismuto são do mesmo grupo na tabela periódica.

Todos os 31 pacientes do estudo eram de uma clínica australiana e não respondiam a nenhum tratamento disponível atualmente para o tratamento de diarreia crônica. Os pesquisadores definiram como diarreia crônica como tendo mais de 4 episódios de fezes líquidas por dia e não respondendo a terapia primária para a doença a qual a diarreia estava associada.



Depois de 4 semanas tomando 120g ou 240g de bismuto oral duas vezes por dia, 23 pacientes tiveram uma resposta clínica. Depois de um ano tomando bismuto duas vezes ao dia, 12 dos pacientes continuaram a ter uma boa resposta ao tratamento. Dos 12 pacientes com pouchitis, 11 deles tiveram uma boa resposta clínica depois de um ano. Dos 4 pacientes com colite indeterminada, 3 tiveram uma resposta contínua. No cado da SII-D 3 de 4 pacientes tiveram uma resposta inicial e 2 tiveram uma resposta contínua.

Este foi um estudo pequeno mas que trouxe esperançãs para aqueles que não conseguem melhoras com nenhum tratamento disponível atualmente.

É bom notar que oral bismuto está disponível para o tratamento de diarreias, especialmente diarreia do viajante, mas este estudo verifica o potencial deste medicamento ser usado para a manutenção do tratamento da pouchitis, colite indeterminada e SII-D, mas reintera que não é o tratamento adequado a longo prazo para nenhuma dessas condições. Apesar destes remédios estarem disponíveis sem receita médica eles são medicamentos potentes e devem ser usados somente como direcionado na bula ou dito pelo seu médico. Não auto medique!

1. Thazhth SS et al. Oral bismuth for chronic intractable diarrheal conditions. Clinical and Experimental Gastroenterology. 2013;6:19-25

0 comentários:

Post a Comment

Muito obrigado pelo seu comentário e/ou pergunta. Responderemos o mais rapidamente possível.

Isenção de responsabilidade

Usando esse blog você o estará fazendo por conta e risco próprios. Não é a pretensão desse blog diagnosticar, medicar, sugerir tratamentos ou induzir mudanças no seu atual tratamento médico. Objetivamos única e exclusivamente informar a respeito das doenças inflamatórias intestinais. Caso você apresente algum sintoma procure um profissional médico. Não descontinue o uso de nenhum medicamento sem antes consultar o seu médico.

Powered by Blogger.