Como dissemos em outro artigo, alguns pacientes desenvolvem intolerância alimentares. Agora vamos falar um pouco sobre cada uma delas e hoje vamos começar pela intolerância a lactose, também conhecida por “intolerância ao leite”.

O que é a intolerância à lactose?

            
As enzimas quebram os nutrientes em pequenos pedacinhos (moléculas) até que eles possam ser absorvidos no intestino. Se não existe determinada enzima ou se ela está em quantidade insuficiente, o tal nutriente não consegue ser absorvido. E se ele não está nesses pedacinhos bem pequenos, isso “irrita” o intestino. Então, essa “irritação” do intestino que causam uma série de desconfortos.
            
É isso que acontece com quem tem intolerância ao leite. O leite tem um açúcar específico dele, chamado lactose. As pessoas intolerantes tem falta da enzima que quebra essa lactose. Essa enzima tem o nome muito parecido e é chamada de lactase.

Quais são os sintomas da intolerância à lactose?

            
Podem ser náuseas, azia, dor abdominal, distensão abdominal (barriga inchada), excesso de gases, irritação intestinal e diarreia.
            
A gravidade depende de quanta lactose o organismo consegue suportar. Tem pessoas que ainda suportam um pouco, mas tem pessoas que não suportam nem a menor quantidade.



Como é feito o diagnóstico?


Existem testes a ser feitos, como um exame respiratório e um exame de sangue após a ingestão de leite, mas você mesmo pode se “testar”. Basta tirar os leites e derivados da sua alimentação por 1 semana. Se os sintomas desaparecerem, pode estar aí o motivo. No entanto, não deixe de comentar isso com seu médico para que ele possa concluir o diagnóstico.

Como é feito o tratamento?

            
O único jeito é retirar da sua alimentação o alimento causador da intolerância, pois não tem como aumentar a quantidade de lactase. Nesse caso, retirar o leite e seus derivados. Talvez seja necessário entrar com alguma medicação, mas só seu médico pode avaliar isso.
            
Uma coisa importante a ser lembrada é que, mesmo que você não tenha intolerância a lactose, durante os períodos que está com diarreia é conveniente retirar o leite da alimentação. Mas assim que você melhorar e acabarem os episódios de diarreia pode voltar a bebê-lo.

ASSINE NOSSO BOLETIM INFORMATIVO
Coloque o seu email:

Você receberá um email, confirme-o para que você possa receber nossas novidades.

Quais alimentos devo evitar então?

Leites de vaca e de cabra, inclusive os leites em pó, queijo, manteiga, requeijão, iogurte, creme de leite e adoçantes em pó. Lembrar das preparações que levam esses ingredientes em sua composição, como pães, bolos e biscoitos.
            
Lembrando que algumas pessoas ainda conseguem tolerar uma pequena quantidade de lactose, então talvez não seja necessário a exclusão de todos esses itens. O iogurte costuma ser bem tolerado, pois tem pouquíssima lactose (as bactérias presentes naturalmente no iogurte fermentam essa açúcar).

Quais alimentos posso usar para substituir?


Hoje em dia no mercado existe o leite com redução de lactose (90% ou 95% menos lactose) e tem também o leite absolutamente sem lactose. Por questões de ética, não podemos citar as marcas, mas fique de olho nos supermercados e casas de produtos naturais.
           
Além desses, tem o leite de soja, leite de aveia e leite de arroz. Também existem queijos sem lactose, são eles: tofu (queijo de soja), cheddar, parmesão, camembert, prato, emmental, brie e roquefort. Mas devemos tomar cuidado, porque excetuando o tofu, são ricos em gordura e sódio.

Devo tomar mais algum cuidado?


O leite é uma importante fonte de cálcio, proteína e vitaminas, então a retirada do leite da alimentação pode levar a uma ingestão insuficiente destes nutrientes. Sendo assim, devemos aumentar a ingestão de outros alimentos que possam suprir essas necessidades. Converse com sua nutricionista para que isso seja calculado direitinho.
            
Outros alimentos ricos em cálcio que podem ser incorporados à sua alimentação são:

- Verduras verde-escuras, como brócolis, espinafre, repolho e couve;
- Queijo tofu;
- Ovos;
- Sardinha, algas e mariscos;
- Amêndoas, nozes e castanhas;
- Cenoura, laranja, uva passa, figo, nabo.
            
Esperamos ter esclarecido as dúvidas com esse post e mostrado que sempre há outras opções na alimentação. Precisamos acabar com esse mito de que os portadores de doenças inflamatórias intestinais tem a alimentação muito rígida. Já estamos vendo que não é nada disso! Até a próxima!

Leia mais sobre Intolerância à lactose e Intolerância ao glúten







            

1 comentários:

  1. Eu não posso fazer uso do leite e nem seus derivados,até mesmo o leite de soja me faz mal,por isto retirei de vez,pois ao fazer uso,sempre me fez mal e ao deixar de usa-lo,os sintomas desapareceram,o meu gastro me receitou o modulem,vou tentar pegar na farmácia de alto custo.Gostei muito da matéria.Obrigado.

    ReplyDelete

Muito obrigado pelo seu comentário e/ou pergunta. Responderemos o mais rapidamente possível.

Isenção de responsabilidade

Usando esse blog você o estará fazendo por conta e risco próprios. Não é a pretensão desse blog diagnosticar, medicar, sugerir tratamentos ou induzir mudanças no seu atual tratamento médico. Objetivamos única e exclusivamente informar a respeito das doenças inflamatórias intestinais. Caso você apresente algum sintoma procure um profissional médico. Não descontinue o uso de nenhum medicamento sem antes consultar o seu médico.

Powered by Blogger.