Doenças que se assemelham à doença de Crohn e colite ulcerativa


Devido às inúmeras semelhanças com outras patologias, o diagnóstico da doença de Crohn e da colite ulcerativa é muito difícil, até mesmo para os especialistas. Como uma doença se comporta de forma bem parecida com a outra, são necessários diversos exames de imagem (raio- X, endoscopias) e exames de sangue até que se chegue a um diagnóstico final.

O resultado depende de uma análise conjunta de dados endoscópicos, histológicos e radiológicos. Por esse motivo, é muito comum que as pessoas associem também outras doenças intestinais inflamatórias e distúrbios gastrointestinais à doença de Crohn e à colite ulcerativa.

Muitas vezes essas doenças se sobrepoem tendo o indivíduo duas delas ao mesmo tempo.

Leia também:

Abaixo, vamos olhar mais detalhadamente em algumas dessas doenças.

1.    Síndrome do Intestino Irritável
2.    Deonça Celíaca
3.    Colite Micrscópica
4.    Colite Isquêmica
5.    Diverticulite

6.    Colite Infecciosa


Síndrome do intestino irritável


Diferença entre SII e DIIFacilmente associada à doença de Crohn e colite ulcerativa, a Síndrome do Intestino Irritável se diferencia dessas duas por não implicar na inflamação das paredes do trato intestinal. Porém, estima-se que entre 20 e 30% das pessoas com doença inflamatória intestinal tem também síndrome do intestino irritável.

A principal diferença entre DII e SII é que na última, trata-se, na verdade, de um conjunto de manifestações gastrointestinais crônicas ou recorrentes, cuja relação com qualquer tipo de alteração bioquímica ou estrutural ainda é desconhecida pelos médicos. A maior parte das pessoas afetadas são mulheres no final da adolescência ou até os 30 anos.

Embora a causa da Síndrome do Intestino Irritável ainda seja desconhecida, acredita-se que ela possa ser resultado de alterações nos movimentos que propagam o alimento desde a boca até o ânus (motilidade intestinal) e nos estímulos elétricos responsáveis por esse movimento.

É provável que os pacientes com síndrome sejam mais sensíveis às dores provocadas pela distensão intestinal, sentindo um incômodo abdominal exagerado em relação à concentração de gases ou fezes presentes no intestino.

Leia mais sobre a Síndrome do Intestino Irritável e sobre um estudo que sugere que a ligação entre cérebro e sistema digestivo pode estar por trás da sintomatologia da DII.

ASSINE NOSSO BOLETIM INFORMATIVO
Coloque o seu email:

Você receberá um email, confirme-o para que você possa receber nossas novidades.

Doença Celíaca e intolerância ao glúten


A doença celíaca (também conhecida como enteropatia glúten-induzida) é uma patologia autoimune exarcebada pela intolerância ao glúten, uma proteína encontrada em alimentos como trigo, aveia, cevada, centeio e seus derivados. É importante frisar que intolerância ao glúten não significa doença celíaca, mas doença celíaca significa intolerência ao glúten. Ou seja, um indivíduo por ser alérgico à glúten sem ter a doença.

Ao ingerir glúten, o portador desse mal desenvolve uma enorme dificuldade de absorver os nutrientes dos alimentos, vitaminas, sais minerais e água. A doença afeta o intestino delgado de adultos e crianças geneticamente predispostos. Se não for tratada a tempo, pode implicar em problemas de infertilidade ou até mesmo algum tipo de câncer.

Como os principais sintomas são diarreia, vômito e perda de peso, é normal que os pacientes associem a doença celíaca a algum tipo de doença inflamatória do trato intestinal, entre elas a doença de Crohn e a colite ulcerativa. O principal tratamento ainda é a dieta com total ausência de glúten, pois quando a proteína é excluída da alimentação os sintomas desaparecem. Porém, como o glúten é uma substância presente em muitos alimentos, os pacientes enfrentam dificuldades em conviver com as rigorosas restrições alimentares.

Leia mais sobre intolerância ao Glúten.


Colite microscópica


Também conhecida como microcolite, é uma alteração do cólon (intestino grosso) a nível microscópico que vem se tornando cada vez mais frequente. É apontada por especialistas como uma das causas mais comuns de diarreia crônica, e a sua incidência vem aumentando muito nos últimos 20 anos, principalmente devido à melhoria dos mecanismos e métodos diagnósticos.

Só é possível chegar ao diagnóstico através de biópsia uma vez que a colonoscopia mostrará que a mucosa intestinal está aparentemente saudável, mas a nível celular há inflamação. Isso só pode ser visto através do microscópio.

Embora suas causas ainda não sejam claras, sabe-se que a colite microscópica implica no desenvolvimento de edemas na mucosa do intestino grosso. É facilmente confundida com a Síndrome do Intestino Irritável em função dos sintomas semelhantes. Porém, diferente da síndrome, que é uma doença funcional, a microcolite é uma enfermidade de características inflamatórias.

Colite isquêmica


Este tipo de colite ocorre quando o fluxo sanguíneo adequado é insuficiente às necessidades metabólicas e de oxigênio do intestino grosso gerando um quadro de isquemia (circulação sanguínea insuficiente para determinado órgão). Por exemplo, se seu coração tem isquemia você terá um ataque do coração, se o seu cérebro sofre isquemia você terá um AVC (acidente vascular cerebral) e se você tem isquemia no intestino você terá colite isquêmica.

Isso pode acontecer devido a problemas circulatórios sistêmicos (que afetam todos os vasos sanguíneos) ou localmente nos vasos sanguíneos intestinais. A colite isquêmica tem sido muito associada à doença de Crohn e colite ulcerativa devido aos sintomas semelhantes (dor abdominal, diarreia e sangramento intestinal), mas é um tipo específico de colite que demanda um tratamento bastante direcionado.

Geralmente a colite isquêmica ocorre em pessoas mais velhasquando ocorre algum entupimento arterial ou devido a pressão baixa que faz com que o suplemento sanguíneo para os intestinos se torne insuficiente.

A colite isquêmica é uma emergência médica e se deixada sem tratamento pode causar a morte (gangrena) das células intestinais. Isso pode fazer com que o cólon se rompa liberando toxinas para a cavidade abdominal, o que pode levar à morte.


Diverticulite e diverticulose



O que é diverticulite
A diverticulite é a inflamação de pequenas bolsas e cistos salientes da parede interna do intestino grosso (diverticulose). As causas da diverticulite ainda estão sendo estudadas. Suspeita-se, no entanto, que uma alimentação pobre em fibras resulte no aumento da pressão no cólon e nos intestinos no momento da liberação das fezes, prejudicando a parede interna do intestino.

As pessoas com diverticulose podem sentir inchaço e cólicas na parte inferior do abdome nos casos mais leves e inchaço abdominal, gases, febre, calafrios, náusea e vômito nos casos mais graves, motivo pelo qual essa doença pode ser facilmente confundida com a colite ulcerativa ou com a doença de Crohn.

Essa condição é bem comum entre pessoas acima dos 50 anos. As diverticuloses normalmente não causam sintoma algum, mas elas podem sangrar e você pode vir a notar sangue nas fezes. Diverticulite só ocorre com a inflamação das mesmas.



Colite infecciosa



É causada por um vírus ou uma bactéria que ataca o cólon provocando a sua inflamação. Se não tratada em tempo hábil, pode se tornar uma doença crônica. No entanto, se o paciente procurar tratamento médico assim que surgirem os sintomas, uma única rodada de antibióticos pode eliminar totalmente a doença. Como os sintomas são muito semelhantes com os da doença de Crohn e outros tipos de colite (febre, dores abdominais, diarreia, náuseas, perda de peso), o diagnóstico costuma ser bastante complicado.

0 comentários:

Post a Comment

Muito obrigado pelo seu comentário e/ou pergunta. Responderemos o mais rapidamente possível.

Isenção de responsabilidade

Usando esse blog você o estará fazendo por conta e risco próprios. Não é a pretensão desse blog diagnosticar, medicar, sugerir tratamentos ou induzir mudanças no seu atual tratamento médico. Objetivamos única e exclusivamente informar a respeito das doenças inflamatórias intestinais. Caso você apresente algum sintoma procure um profissional médico. Não descontinue o uso de nenhum medicamento sem antes consultar o seu médico.

Powered by Blogger.